ACIM e CDL defendem acesso do comércio a política de compras da Educação

A criação de um cadastro de fornecedores, seguindo os critérios e exigências definidas por legislações municipal e federal,

A criação de um cadastro de fornecedores, seguindo os critérios e exigências definidas por legislações municipal e federal, foi proposta pela ACIM junto à Câmara de Dirigentes Lojistas de Macaé (CDL) à prefeitura. O objetivo é facilitar o acesso do comércio local a política de compras da rede pública de Educação.
Em reunião realizada nesta terça-feira (23), as instituições definiram junto as secretarias municipais de Desenvolvimento Econômico e de Educação a criação de um sistema direcionado aos comerciantes da cidade que estão aptos a vender materiais de consumo (limpeza e escritório) e produtos permanentes (mobiliário, equipamentos eletrônicos e peças para manutenção básica) de forma direta para as 108 escolas da rede municipal.
A proposta é que, de início, a equipe da secretaria de Educação apresente à ACIM e CDL o protocolo de regras e exigências necessárias para que os comerciantes da cidade possam vender para os diretores da rede municipal.
“Muitos comerciantes desconhecem essa prática da rede municipal. Existem instituições parceiras que podem nos ajudar a preparar os nossos empresários a atender essa política de compras das escolas que, sem dúvidas, contribuirá de forma direta para o resgate do setor”, defendeu Olavo Pinheiro Júnior, presidente da ACIM.
A inciativa conta com a contribuição de Luis Henrique Fragoso, presidente do CDL Macaé.

Leave a Comment