Uma nova regra definida pela Petrobras para executar pagamentos a fornecedores, de bens e serviços, gerou reação a empresas que atuam na cadeia produtiva offshore local. E a ACIM já se mobiliza para discutir a pauta.

O sinal de alerta ocorre diante do aumento do prazo para a efetivação dos pagamentos previstos por contrato. Antes liberados em 30 dias, agora as empresas aguardarão 90 dias para receber da Petrobras. A medida vale para novos acordos celebrados a partir de dezembro do ano passado.
A ampliação do prazo eleva o gargalo já encarado pelas empresas da cadeia de fornecedores de Macaé, além de causar um efeito nocivo em cadeia sacrificando o comércio.
“Quem vende ou presta serviços para as empresas contratadas da Petrobras levará ainda mais tempo para receber. E isso afeta diretamente a nossa cadeia de fornecedores que já encara um desafio enorme de manter as portas abertas diante da pandemia”, afirma Vitor Silva, diretor de Petróleo, Energia e Relações Exteriores da ACIM.
A mudança na regra foi tema da primeira reunião geral de diretora da ACIM, realizada na noite de quarta-feira (28).
A Associação, junto as demais instituições empresariais locais,  buscará agendas institucional e política para garantir um caminho de diálogo com a Petrobras afim de evitar ainda mais impactos no setor.
“Esses contratos são os pilares da economia gerada pelo mercado do petróleo. E qualquer mudança nessas regras sacrifica diretamente o comércio que não tem fôlego para suportar dois ou três meses a mais para receber faturas. Precisamos reverter essa situação”, afirma Olavo Pinheiro Júnior, presidente da ACIM.


A geração de negócios para fornecedores da cidade e a contratação de mão de obra local foram destacados na reunião realiza hoje (27) na sede da ACIM, pelo Repensar Macaé, junto ao representante da Entrepose Intech, empresa que atua hoje na construção do gasoduto que ligará o Terminal Cabiúnas a Usina Termelétrica Marlim Azul, em fase de construção no CLIMA – Complexo Logístico e Industrial de Macaé.

Os processos de contratação e a política de compras foram destacados no encontro que fortaleceu a iniciativa das instituições que compõem o Repensar em oferecer apoio às empresas que atuam na cidade, com objetivo de gerar negócios através da política de conteúdo local.
“O nosso propósito é promover a relação entre as empresas e a nossa rede de fornecedores locais, gerando negócios e empregos. Acreditamos que a união de forças é o caminho do desenvolvimento econômico e sustentável”, apontou Evandro Cunha, coordenador da Comissão Municipal da Firjan.
Segundo Olavo Pinheiro Júnior, presidente da ACIM, as empresas que atuam em grandes projetos na cidade possuem um papel importante no fortalecimento da base da economia local.
A Entrepose Intech é empresa contratada pela Arke Energia que é responsável pela construção da Usina Termelétrica Marlim Azul, com previsão de entrar em operação em Macaé a partir de janeiro de 2023.
A Entrepose atua na construção do gasoduto de 20 km que abastecerá a Termelétrica com gás produzido pela Shell em reservas do pré-sal.
A previsão de conclusão do gasoduto é de 10 meses com expectativa de geração de 268 postos de trabalho até o pico das obras (abril).

O Repensar

O Repensar Macaé é composto pela ACIM, Comissão Municipal da Firjan, Rede Petro-Bacia de Campos, Federação do Conventions and Visitors Bureau (CVB), SPE (Society of Petroleum Engineers), Sebrae, Associação Macaense de Contabilistas (AMACON), Associação Brasileira das Empresas de Serviços do Petróleo (Abespetro) e Internacional Association of Drillings Contractors (IADC).

 



Medidas que possam estimular o comércio local, através de incentivo ao setor de serviços, foram apresentadas pela ACIM à Câmara de Vereadores, em reunião realizada na tarde de segunda-feira (25).

O presidente da ACIM, Olavo Pinheiro Júnior, o vice-presidente Olívio Osório e o secretário Frederico Antônio Nunes Barreto, se reuniram com o presidente da Câmara, Nilton César (Cesinha) e solicitaram o apoio do Legislativo para promover ações que possam garantir aos empresários locais o suporte necessário para alcançar novos negócios e gerar emprego.
Entre as pautas levantadas pela ACIM estão a necessidade de desburocratização nos processos de licenciamento junto aos órgãos municipais e a implementação da Lei Geral de Compras, que permite aos empresários locais participar de licitações com orçamento até R$ 80 mil.
“O Legislativo tem um papel fundamental para auxiliar na recuperação do comércio, por ter a atribuição de rever leis e propor incentivos importantes à economia. Buscamos junto ao Cesinha um apoio institucional e necessário para rever pautas e construir propostas que possam gerar negócios e assegurar empregos para a nossa população”, afirmou Olavo.
O presidente da Câmara reiterou o compromisso de auxiliar todas as pautas que possam resgatar a capacidade de Macaé em gerar empregos.
“Estamos à disposição da ACIM para realizar um trabalho sério e qualificado na elaboração de pautas que irão devolver a Macaé um ambiente favorável de geração de negócios e de emprego. Esse é o meu compromisso”, destacou Cesinha.
Na reunião, os representantes da ACIM entregaram à Cesinha homenagem que registra os votos da Associação para um mandato de sucesso a frente do Legislativo Municipal.


Grupo Rangel Contabilidade

R. Suez, 140 – Bangu, Rio de Janeiro – RJ, 21820-250
Horário:  08:00 as 17:00 horas
site: https://gruporangel.com/
facebook: https://www.facebook.com/gruporangelcontabilidade/
https://www.instagram.com/gruporangel/
https://www.linkedin.com/company/contabilidade-gr/


Projeto que já garante a Macaé a referência como a “Capital da Energia”, a construção da Usina Termelétrica (UTE) Marlim Azul é acompanhada pelo Repensar Macaé.
Na última sexta-feira (8), os representantes da ACIM, Olavo Pinheiro Júnior e Emerson Esteves, da Comissão Municipal da Firjan, Evandro Cunha e Marcelo Reid, e da Rede Petro-Bacia de Campos, Vitor Silva, visitaram o canteiro de obras da UTE que ocupa espaço dentro do CLIMA – Complexo Logístico e Industrial de Macaé.
Recebidos pelo gerente da Arke Energia, Rogério Souza, o grupo de empresários recebeu informações sobre o andamento das etapas das obras e o prazo de conclusão.
Segundo a Arke, a Usina Termelétrica Marlim Azul esta prevista para ficar pronta no final de 2022, garantindo assim a produção e fornecimento de energia elétrica a partir de janeiro de 2023.
“A termelétrica representa a nova fase de desenvolvimento de Macaé, baseada no potencial do gás produzido na Bacia de Campos. A Marlim Azul abre um campo importante para a produção de energia, que atrairá ainda mais investimentos para a cidade”, afirma Emerson Esteves.
A UTE terá capacidade de produzir 565,5 MW de energia, e será a primeira Usina Termelétrica a utilizar gás produzido no pré-sal, fornecido pela Shell.

O Repensar

O Repensar Macaé é composto pela ACIM, Comissão Municipal da Firjan, Rede Petro-Bacia de Campos, Federação do Conventions and Visitors Bureau (CVB), Sociedade de Engenheiros do Petróleo (SPE), Sebrae, Associação Macaense de Contabilistas (AMACON), Associação Brasileira das Empresas de Serviços do Petróleo (Abespetro) e Internacional Association of Drillings Contractors (IADC).